Grandes empresas investem em adaptações para manter talentos com habilidades vitais para a produtividade da equipe, principalmente que demandam tarefas de raciocínio lógico e concentração.


Você já deve ter lido ou assistido alguma matéria que trata da empregabilidade de pessoas com o Transtorno do Espectro do Autismo – TEA. Cada vez mais estas pessoas ocupam cargos com destaque e em grandes corporações. Isso mesmo, na SAP Labs Latin American, a Márcia Machado vem despontando como programadora de computadores. Com algumas adaptações, a SAP e a ONG Autism at Work, conseguiram abrigar uma profissional de alta performance para integrar o time da multinacional alemã, que é gigante da área de software.

Além da SAP, outras empresas tais como EY, HP e Microsoft já perceberam que as pessoas com TEA têm habilidades importantes, que podem aumentar muito a capacidade do time de desenvolvimento. Apesar da hipersensibilidade auditiva ou visual, a capacidade de entender lógica e perceber erros de programação, fazem com que estas pessoas se destaquem nas tarefas das empresas. Entretanto, as equipes precisam ser treinadas dentro do contexto do autismo, para que haja uma facilidade de entendimento e assim permitir a pessoa com TEA sentir-se parte do time.

Outra importante medida deve ser adotada pela família, que ao perceberem sinais de autismo, procurem profissionais para realizar o diagnóstico e iniciem os tratamentos precocemente. Hoje o treino de habilidades sociais baseado em Análise do Comportamento Aplicada – ABA possibilita a aprendizagem de comportamentos que resultam em uma melhora de sua comunicação e de suas relações com os outros, permitindo que consigam atingir o marcado de trabalho de uma forma mais tranquila.


Mais informações podem ser obtidas na matéria “Talento e adaptação: o resultado de contratar programadores com autismo” de Thais Lazzeri para a Época Negócios.


Carlos Giovanni Nunes de Carvalho é doutor em Engenharia de Teleinformática pela UFC e concluiu pós-doutorado na ArmTec Tecnologia em Robótica. Ele é um dos fundadores da Startup SociAutism, criada para facilitar o treino de habilidades sociais.


Mais informações sobre a SociAutism em fb.com/sociautism ou instagram.com/sociautism